Google+ Álem M. Martins: Maio 2010

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Radares – as principais obras da prefeitura de Coronel Fabriciano

 

 

“Sou a favor de radares até escondido atras de árvores.”

Chico Simões, prefeito de Coronel Fabriciano em entrevista ao jornal PLOX.

 

 

100_6779

 
Clique no link abaixo e veja o vídeo com a entrevista do prefeito Chico Simões, onde ele diz que é a favor de radares escondidos atras de árvores.

http://www.plox.com.br/caderno/pol%C3%ADtica-e-economia/prefeito-de-fabriciano-defende-o-uso-de-%E2%80%9Cradar-pardal%E2%80%9D

Em entrevista coletiva na tarde dessa sexta-feira (14) , em seu gabinete, o prefeito de Coronel Fabriciano, Chico Simões (PT)), defendeu novamente o uso de radares escondidos, conhecidos como “pardais”. Simões convocou a imprensa para falar das mudanças que estão sendo feitas no transito da cidade, e disse que primeiramente e preciso dar condições e educação para que as pessoas lidem bem com a segurança no transito, mas que após isso vem as aplicações de multas para os infratores. “Defendo o uso de radares móveis, os tais “pardais” e não tenho nenhum prurido quanto a isso. E se falarem que vou perder votos por esta afirmação, eu digo: prefiro perder um voto do que perder uma vida”, afirmou.

Chico Simões esclareceu que os radares da cidade obedecerão às normas impostas pela legislação. “EU faço o que a lei manda, então seguirei as normas de colocação dos redutores de velocidade”. O prefeito disse que na opinião dele, não deveriam ter avisos da presença de radares, pois as placas de sinalização de velocidade já seriam o bastante para que os motoristas não ultrapassassem a velocidade máxima permitida. “Deveria ter um placa assim: nesta cidade a velocidade máxima permitida é X, e quem desobedecesse seria multado e pronto”, afirmou.

Simões afirmou que várias mudanças serão implementadas nas vias da cidade, visando maior fluência do transito, mas principalmente a segurança dos mais fracos, os pedestres.


Da redação do Plox

domingo, 23 de maio de 2010

Hoy Bolívia - “Lula diz que a escolha de Dilma foi errada mas que agora é tarde para mudar”

 

  Clique na imagem ou no link abaixo para ver a notícia na fonte

 

http://www.hoybolivia.com/Noticia.php?IdNoticia=33602

"El gran hipócrita soltó la lengua"
==

O que pensam de Lula e Dilma por aí.

Atualizando: está traduzido da melhor forma possível.

Em entrevista ao El Pais, em Espanha, Lula da Silva mostrou algumas das manobras políticas que o fizeram bem sucedido.Como primeira revelação, ele disse que mirou o capitalismo para poder caminhar para o socialismo.

Grande novidade! Como se ninguém tivesse notado. Primeiro faz com que o cidadão invista no seu país, para em seguida lhe bater a carteira. Esta é a fórmula progressista. Faltou-lhe decência para admitir que só foram criados 14 milhões de empregos no país porque não meteu-se e não interferiu nos negócios. O progresso comprovou que a liberdade econômica é a grande geradora de riqueza. No entanto, não consegue aceitar que o capitalismo é o sistema perfeito para o desenvolvimento, devendo permanecer intocável.

A ambição do governo totalitário que tem os socialistas faz com que uma vez que foi gerada riqueza, esta tem que ser retirada de quem a produziu, para manter os subsídios populistas. Esclareceu que o seu relacionamento com a Igreja e os padres promulgadores da teologia da libertação foi a sua base de apoio para atingir as massas. Da Silva, o comunista, ateu, marxista, usou os padres para obter popularidade. Para ser falso, oportunista e sem-vergonha, não há nada como a manipulação política da palavra divina. Ele disse que trata com respeito todas as religiões, porque o Brasil é um país laico.

Sua relação cada vez mais estreita com os muçulmanos fanáticos é provavelmente parte deste seu respeito sem preferências. Ele disse que como presidente é um cidadão "multi-ideológico", que fica bem com esquerda e direita por conveniência. Agora que deixa o governo soltou a língua e admitiu que seu jogo foi por conveniência. Decidiu mostrar franqueza ou foi um ato falho?

Entre suas declarações disse: "Ganhe quem ganhar, ninguém vai fazer nenhuma bobagem, as pessoas querem seguir andando e não retroceder. Mas deixe-me dizer que eu não vejo a possibilidade de perder a eleição." Caminhando para onde Sr. Lula? Até o capitalismo que sustentou por conveniência ou para o socialismo que daria o poder absoluto ao seu partido e à sua ministra? Se ele diz que o PT não pode perder nas eleições, é porque a fraude e a corrupção estão a caminho. Não disse que seu partido vai ganhar, o que seria a expressão lógica de um presidente que sai, com tamanha popularidade.

Ele desconfia de Rousseff, sabe que a escolha da candidata foi errada, mas agora é tarde demais para mudar a égua. Na mais embaraçosa de suas respostas, disse: "Precisamos de uma adequada força armada para garantir a segurança das pessoas, mantendo uma política de defesa respeitável. Nós não vamos invadir qualquer país, mas nós não queremos que nos invadam." Quem é que vai invadir o Brasil, Sr. Lula? A Bolívia, o Uruguai? Olho vivo com Paraguai e a Guiana! Cuidado! Que grande complô ou grande mentira, entre todas as que teceu ao longo dos anos, está por trás de tal argumento? Qual é o programa militar que pretende desenvolver com o Irã e a Rússia? Sua aproximação com Medvedev e Ahmadinejad escondem as mais obscuras alianças que estão sendo desenvolvidas na América do Sul, sem que ninguém diga uma só palavra sobre isso em qualquer lugar do mundo. Um Brasil socialista é um perigo mortal para a América Latina. O risco não é só para os seus vizinhos, mas para os brasileiros, que investiram tudo em seu país, confiantes no capitalismo "temporário", que o hipócrita Lula da Silva apoiou.

www.josebrechner.com

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Para uma mulher que se faz passar por Pedro Malan, convenhamos, roubar a identidade de Norma Bengell é o de menos.

Para uma mulher que se faz passar por Pedro Malan, convenhamos, roubar a identidade de Norma Bengell é o de menos.: "
Eu sou você ontem

Quando Dilma Rousseff traficou a foto da atriz Norma Bengell para seu site oficial, fazendo-se passar pela atriz numa passeata contra a ditadura, houve um certo mal-estar. Mas não foi tão absurdo assim.

Dilma, a candidata de Lula para governar o Brasil, anda dizendo por aí que tirou o país da inflação descontrolada.
Para uma mulher que se faz passar por Pedro Malan, convenhamos, roubar a identidade de Norma Bengell é o de menos.

Essas coisas são normais hoje em dia. Luiz Fernando Verissimo escreveu um texto genial contra o Big Brother Brasil, que logo se espalhou pela internet. O único problema era que o texto não era dele (e não era genial, mas isso é detalhe). O suposto autor ainda se atreveu a desmentir, mas a web não lhe deu bola, e o artigo-fantasma continuou bombando.

Dilma Rousseff está, de certa forma, sintonizada com seu tempo. Para o mau entendedor, tanto faz Malan, Norma Bengell ou Verissimo desde que a mensagem contenha o que ele quer ouvir. Ouçam Dilma em recente comício para militantes na Câmara de Vereadores de São Paulo: Lembro muito bem o que era o governo de transição. Ali tivemos o apoio de vocês, que nos deu a centralidade para fazer o que chamo de a passagem pelo deserto, porque este país estava com inflação descontrolada, de certa forma de joelhos, diante de sua dívida externa, do seu compromisso com o FMI. A passagem pelo deserto deve mesmo ter sido extenuante. Muito sol na cabeça não faz bem a ninguém. Por Guilherme Fiuza - O Globo

Ali surgem as miragens, os delírios e, sabe-se agora, a mitomania.

É a construção de um novo Brasil, declarou a candidata do PT no mesmo discurso. Não há dúvida, novo em folha. E, para garantir, o jeito foi apagar tudo que é velho: o Plano Real, as metas de inflação, a responsabilidade fiscal, a política de superávit primário, a renegociação da dívida externa, o fim da farra dos bancos estaduais, a abertura da economia, a atração de divisas a partir do fim das moratórias populistas e da redução do risco-Brasil. Sumiu tudo na poeira do deserto petista.

Retocar a história é um clássico do stalinismo, mas com isso o Plano Dilma não compactua. É arriscado, sempre fica algum vestígio da manobra.

Melhor apagar tudo. Explicar que o governo de transição foi uma passagem de bastão de Pedro Malan para Antonio Palocci tornaria o novo texto confuso. O jeito foi sumir com o bastão.

Até aqui está dando tudo certo. O povo não parece muito interessado no pântano que era a economia brasileira uma década antes de 2003, o ano zero. É uma pré-história realmente repugnante. Tinha monstros à solta, como um dragão que devorava até metade do salário do trabalhador mesmo que ele não gastasse nada. A expressão poder de compra soava ridícula na boca de qualquer governante.

Prometer trazer de volta o ser amado em dois dias era mais seguro.

De 1993 a 2003 aconteceram as tais coisas velhas que o novo Brasil deixou para trás. Na economia pantanosa, onde tudo que se construía afundava lenta e gradualmente, surgiram pilares. (O PT foi contra todos eles, mas o pessoal botou assim mesmo).

O trabalhador, o pobre, descobriu enfim que o tal poder de compra não era ganhar na loteria, ou papo de bruxaria. Foi nessa pré-história horrenda que o Brasil entendeu o sentido da expressão dinheiro na mão.

É sobre esse chão de verdade que hoje evolui a DisneyLula, e seu divertido jogo dos sete erros. Empilhamos dois tijolos onde não havia nenhum! Nosso governo é 200% melhor que o deles! Os números não mentem! Não mentem mesmo. Quem mente é quem os recita, nessa aritmética deliberadamente ignorante, que o povo ama e aplaude. Guido Mantega, o ministro surfista, enteado do Banco Central a quem dirige sua rebeldia sem causa, anuncia para uma plateia da CUT um PIB de 6% para 2010. E tripudia, bradando que Lula priorizou o crescimento: É incorreto dizer que este governo manteve a política econômica anterior. Houve uma mudança na forma de o Estado agir. Ainda bem que a plateia contente não pergunta que mudança foi essa.

Teria sido o PAC? Não… Os números, se bem adestrados, até mentem um pouquinho. Mas Mantega sabe que, se ligar o PAC ao PIB, depois não arranja emprego nem de faxineiro da FGV.

José Dirceu, o homem, o mito e a consciência da companheira Dilma, já a instruiu para trombetear que a dívida interna explodiu no governo FHC. Segue o joguinho de sete erros.

Na abominável pré-história, a dívida pública era em grande parte clandestina, não contabilizada (expressão depois imortalizada por Delúbio) e devorava os investimentos. O governo anterior tirou-a do armário, trouxe à luz todos os seus zeros e começou a pagá-la. Foi um plano concreto de aceleração do crescimento que tragicamente não tinha sigla nem placa.

É claro que numa campanha eleitoral ninguém vai explicar um rolo desses.

Neste novo Brasil, ninguém se comove com o passado. Nem a Norma Bengell.

VÍDEO QUE DILMA CENSUROU PARA O SERRA NÃO MOSTRAR AOS PREFEITOS .



O calvário de um prefeito em Brasília

Este é o vídeo censurado pela Dilma. Do que a Dilma tem medo?
O que existe de mentira no vídeo?
José Serra queria mostrar ao prefeitos e a Dilma não permitiu.
O que a Dilma temia?
Coturno Noturno

domingo, 16 de maio de 2010

'Dilma mentiu: eu sou o autor do Luz para Todos'

 

de (movimento da ordem vigilia contra corrupção)

Este é o fundamento básico da proposta original do deputado. "Há muita gente se beneficiando dos resultados eleitorais desse programa sem dizer verdadeiramente a autoria. Cada cidadão brasileiro que paga a taxa acima da taxa social está pagando um pouquinho mais para garantir o Programa Luz para Todos", finaliza João Almeida

Da assessoria de imprensa da liderança do PSDB na Câmara dos Deputados:

O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, João Almeida (BA), foto acima, declarou-se surpreso com a afirmação da petista Dilma Roussef no programa do partido veiculado na televisão, quando afirmou que o "Luz para Todos" foi de sua autoria.

"Isto é uma mentira, pois o programa é de minha iniciativa! Não foi proposto pelo Governo de Lula, como querem passar para a população. E foi aprovado por unanimidade pela Câmara dos Deputados e pelo Senado", alertou Almeida.

João Almeida relembra que, em 2003, o Governo Lula enviou ao Congresso Nacional Medida Provisória (MP 127/2003) que tratava apenas da criação de um Programa Emergencial e Excepcional de Apoio às Concessionárias de Serviços Públicos de Distribuição de Energia Elétrica.

"A MP era somente para dar uma compensação às companhias distribuidoras de energia elétrica, por um aumento que não fora concedido pelo Governo para evitar que a inflação crescesse", explica Almeida.

O deputado baiano foi designado relator. Como possuía todos os estudos anteriores relativos à criação do programa "Luz no Campo" (dezembro de 1999, ainda no Governo FHC), entrou em contato com as lideranças do PT para promover a universalização do fornecimento de energia elétrica a todos os brasileiros.

Foi desta forma que nasceu o "Luz Para Todos", construído naquele momento pelo relator. "Eu incluí nessa MP a legislação básica para a construção do programa ‘Luz Para Todos’", lembra Almeida. A lei foi aprovada por unanimidade e o deputado não fez qualquer alarido disso à época. Blog - Noblat

"Na elaboração da lei do ‘Luz Para Todos’, tomei o cuidado essencial de evitar a manipulação política. De que forma? Garantindo um sistema de atendimento às comunidades baseado no custo por família, atendendo primeiro aos que podem ser atendidos com custo mais baixo, depois aos de custo mais alto, por fim chegando até aos mais distantes", completa o líder tucano.

A ex-ministra não foi a primeira a mentir sobre a autoria do projeto, acentua o deputado baiano. "Tenho uma surpresa muito grande quando aparece ou outro deputado, e agora a ex-ministra de Lula, dizendo que levou o ‘Luz Para Todos’ para aqui, ou que outro levou o Luz Para Todos para lá. Mentem todos!! Ninguém leva o ‘Luz Para Todos’ para qualquer lugar!! Quem diz onde o programa vai acontecer é o computador, que lista as comunidades a serem atendidas em cada momento, considerando o menor custo por unidade beneficiada", diz.

O sucesso do programa "Luz Para Todos", enfatiza João Almeida, "é a lei que criou este fundo, pois quem sustenta o programa não é o orçamento da União".

Este é o fundamento básico da proposta original do deputado. "Há muita gente se beneficiando dos resultados eleitorais desse programa sem dizer verdadeiramente a autoria. Cada cidadão brasileiro que paga a taxa acima da taxa social está pagando um pouquinho mais para garantir o Programa Luz para Todos", finaliza João Almeida

Fé(de) (Dil)mais não cheira bem - Católica as 08, Evangélica as 14 e Umbandista as 20.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

PARÁBOLAS PARABÓLICAS: Jonas, o profeta "sem noção".

de Danilo Fernandes

Danilo Fernandes

CAPITÃO DO NAVIO: - Acorda fio duma jumenta!

PROFETA JONAS: - Mas o que é capitão, por que perturbas meu sono?

CAPITÃO - Não estais vendo que este navio está fazendo água? Estamos num tufão! Num tsunami! Valha-nos Netuno! Faça alguma coisa!

JONAS - Mas eu não entendo nada de navios, tão pouco de tempestades!

- Você não é Jonas, o Profeta, filho de Amitai?

- Sim! Como sabes?

- Eu vi vocês no porto. Despediu-se de seu pai dizendo que Deus havia colocado em seu coração fazer uma cruzada de avivamento em Boca Raton na Flórida, Estados Unidos. Peça ao seu Deus que pare esta tempestade!

- Bem. Não sei se Deus me ouve, não era bem para Flórida que eu deveria ir...

- Marinheiro! Chama o macumbeiro que está lá na galé! Diga-lhe que jogue seus búzios, pois este telepastor aqui há de ser um profeta menor e só é capaz de acalmar tempestade em copo d’agua!

E foram marinheiro, macumbeiro e capitão jogar flores ao mar quando, dizem, iemanjá pediu a cabeça de Jonas. Como naquele tempo o pessoal não só tocava nos ungidos, mas também os davam de oferenda, seja para que demônio fosse, a sereia do capeta teve sua vontade atendida! Jogaram o profeta ao mar revolto e, junto com ele rolaram pela amurada do navio: 2 dúzias de rosas, 3 litros de perfume da Avon e mais 30 pulseiras de plástico, sem nem ao menos aquele barquinho de sushi que se usa para estes despachos.

Pois é, e como o músico Zé Rodrix profetizou, foi assim que Jonas virou música sem ser por vontade própria! E logo se viu comprometido, sem assinar papel, a fazer a vontade de Deus ou ter na baleia a sua casa, sua cidade, até o fim da vida!

ELE (O Grande Eu Sou): - Jonas, Jonas, onde estão agora os seus ternos de linho e suas botijas de óleo ungido?

JONAS (arroz de sushi de peixe vivo): - Deus?!

- Sim Jonas. Eu não te mandei ir para São Gonçalo? O que fostes fazer na Flórida?

- Mas Senhor aquele povo é ruim! Não querem saber de Evangelho! Não querem orar, só querem marchar! Vivem de querer ver sinais e maravilhas.

E de fato era assim o povo daquele tempo. Crianças na fé haviam esquecido a sã doutrina. Viviam agora um tal de reteté, ninguém usava mais sandálias, eram sapatinhos de fogo! Rodopios e línguas estranhas, óleos, espadas, arcas e baús... Não queriam saber dos antigos profetas e nem da Santa Palavra. Viviam de “revelamentos”. A bíblia seguia sempre fechada, como um desodorante, não saia de debaixo do braço...

E para não ser injusto, quando liam algo das Escrituras era de Malaquias, a quem andam dando uma moral maior que a do Cristo! E, fora isto, era marcha e mais marcha... E pensar que Cristo foi andando à Cruz, tomando pancada... E quem marchava? Quem marchava? Mas não eram os soldados romanos os marchadores na história? Vá entender esta mania de marchar...

Mas determinar o povo sabia! Determinavam vitórias e mais vitórias e ninguém pagava mais contas em bancos, mas levavam os boletos e carnês para Deus pagar nestes desafios e fogueiras da Universal.

DEUS (o todo poderoso): - Jonas, Jonas eu te falei para pegar a barca para Niterói e você pegou este navio da CVC para Miami, ô raça ruim! Agora vou te dar este PC e vais virar blogueiro apologético até que a viagem termine.

JONAS (isca viva): - Mas, Deus! Ao menos terei banda larga?

- Jonas, Jonas és muito turrão! Pensas ser dono da Minha agenda Jonas? Queres agora controlar Meus planos?

E foi assim que Jonas passou a dar congestão em peixe e a perturbar os blogueiros da blogosfera com seu legalismo cruel, de dono da verdade, xerife de Deus. Sisudo, reclamava do bom humor dos blogueiros. Queria todos em panos de saco. Sérios. Imbuído da missão de determinar a vontade de Deus, já dizia como os outros haveriam de orar, fazer apologética e tudo o mais. E foi quando já estava prestes a reservar o domínio de Deus no registro do PontoCom do Céu, eis que o próprio Deus atendeu a vontade da baleia nauseada e apressou a viagem:

- JONAS (encosto de peixe): Fecha a boca, está entrando água... socorro! Não tosse não, peixe excomungado!

- PEIXÃO (sem Sal de Frutas Eno, mas na misericórdia): Arght! Uuuuugo!

E lá foi Jonas gofado em São Gonçalo. Nenhuma areia fofinha, ou praia agradável. Terminou com a cara no asfalto de uma rodovia, transito de sexta-feira, todos indo para a região dos lagos. Logo encontrou um vendedor de água e biscoito, matou sua fome e sede e ouviu de Deus a ordem unida:

- Vai pregar pelo arrependimento do povo, ou destruo São Gonçalo em 40 dias e, se vacilar, Niterói vai junto!

E lá foi Jonas com raiva e mau humor, senhor da “vontade” de Deus pregar para o povo. E como é o Espírito que faz as coisas, a despeito dos maus bofes de Jonas, foi mesmo o povo se convertendo... A giração do pastor pilão parou. Os macumbeiros dos sapatinhos de fogo pararam de marchar e foram ler a Palavra e os profetas das “Casas Bahia” cessaram de vender Deus às prestações. E não foi preciso muito tempo para o próprio prefeito abandonar a macumba, vestir panos de saco e convocar o povo pela TV para jejum e oração. E foi assim que São Gonçalo deu com a cara no pó!

Missão cumprida, foi se Jonas para cima do morro mais alto e lá remendou um barraco. Zangado, sentou-se na laje quente para admirar o cumprimento da profecia que ele e Deus (?) determinaram para a cidade. E como ele (Jonas) era profeta de palavra, ungidão, e não era homem comum para mentir, não queria saber de conversa e que Deus agora honrasse o que disse, pois pouco importavam Seus planos perfeitos e Seus desígnios finais, mais valia a profetada de Jonas. Esta haveria de se cumprir! São Gonçalo ia para o saco! Fogo neles!

E ficou o profeta no calor da laje e Deus deu lhe uma bananeira para dar sombra e bananas. E passou noite e um novo dia, mas a cidade ainda de pé e Jonas a esperar a destruição. Abaixo, o povo arrependido seguia na sã doutrina, na Graça. Tudo na Santa Paz.

E ficou assim?

Não! Deus vai e faz murchar a bananeira (criando a banana-passa no processo) e Jonas se revolta de vez: Chuta a botija de azeite, solta impropérios a Deus, diz que vai virar macumbeiro, telefona para o Edir Macedo... Uma loucura!

DEUS (que não tem planos frustrados): - Jonas, por que este piti, este ataque de pelancas, esta raivinhatoda menino? Então estais com pena desta bananeira que criei para viver por um dia apenas, criada para lhe dar comida (*) e sombra, e não se apieda desta cidade de milhões de almas? Jonas, meu filho, o povo se arrependeu! Estava escrito assim! Por Mim! O prefeito fechou a sede da Igreja Mundial, derrubou a Internacional e lacrou a Universal. Até em Niterói já pensam em fechar a Adhonep! O povo parou com a idolatria! Vai para Boca Raton meu garoto! Missão cumprida!

Nota:

(*) Veja como é a Providência de Deus: Vive e morre a bananeira para que Jonas entenda o Amor e ainda seja dado a todo povo saber e entender que os Seus planos são sempre maiores e melhores do que os nossos. Aprendemos que nem sempre vemos ou percebemos os caminhos de Deus, mas devemos ter a certeza que no final da história virá a Perfeição. Vimos ser usado o “incomodo” que tanto desagradou a Jonas para o bem de milhões e, mesmo Jonas, foi edificado e abençoado, pois se cumpriu a vontade de Deus em sua vida e após 3 dias na baleia, Jonas nasceu nova criatura para viver, aprender e herdar de Deus o Reino. Finalmente, ainda teve Deus a bondade de mais uma vez usar a bananeira fiel e nos dar a banana-passa esta delicia saudável que tanto me agrada! Deus é maravilhoso!

Parábolas parabólicas só tem no Genizah

sábado, 8 de maio de 2010

Governo infla dados e erra mapa em anúncio


 

Propaganda apresenta como novas escolas técnicas antigas ou que ainda estão em construção e se equivoca em localização de cidades.

Planalto inclui obra que foi inaugurada por JK em 1958 como se fosse de Lula; ofensiva publicitária custou R$ 60 mi em ano eleitoral.

A pressa para divulgar ações em ano eleitoral levou o governo a inflar estatísticas e tropeçar na geografia, em campanha publicitária de R$ 60 milhões paga pela Secom (Secretaria de Comunicação Social) da Presidência da República.

A propaganda oficial atribui ao governo Lula a inauguração de escolas técnicas federais criadas muito antes da posse do presidente, em 2003. Além disso, usa mapas com indicações trocadas -no do Estado de São Paulo, por exemplo, há cidades indicadas a cerca de 400 quilômetros do local correto.

Os erros estão espalhados em anúncios de meia página publicados anteontem nos principais jornais do país, inclusive na Folha. As peças foram regionalizadas para divulgar obras em cada um dos 26 Estados e no Distrito Federal.

O material apresenta como novas escolas técnicas abertas em governos anteriores ou que ainda estão em construção. O anúncio publicado nos jornais de Brasília, por exemplo, traz um mapa com cinco unidades assinaladas. Quatro não existem e uma foi inaugurada em 1958, pelo então presidente Juscelino Kubitschek.

Abaixo do mapa, um texto de apoio informa que a Escola Técnica de Planaltina "já prepara jovens para o mercado de trabalho". Como a unidade existe desde 1958, os primeiros jovens formados já devem ter celebrado os 70 anos de idade.

O Planalto é reincidente no erro. Em fevereiro do ano passado, quando Lula reabriu a escola, o material de divulgação omitia tratar-se de uma obra de JK, como o presidente reconheceu no discurso.

Sobre as escolas em construção, o texto diz que serão abertas "até o final da expansão da rede", sem indicar data. No mapa, não há qualquer observação de que elas ainda não existem.

O problema se repete no anúncio dos jornais cariocas. Lá, aparece como nova a unidade do Centro Federal de Educação Tecnológica em Maria da Graça, no subúrbio do Rio. O site do Cefet informa que ele existe desde 1997 e foi apenas transformado em "unidade descentralizada" em 2006.

Além de inflar dados, os mapas erram a localização de cidades e confundem bairros com municípios. No de São Paulo, Campinas virou um pontinho no norte do Estado. Caraguatatuba, cujo nome oficial contém "Estância Balneária", foi "promovida" do litoral para o topo da Serra do Mar. No mapa do Rio, bairros como Realengo foram sinalizados com o padrão gráfico de cidades.

(Bernardo Melo Franco - Folha de São Paulo)

sexta-feira, 7 de maio de 2010

O QUE O PT FARIA???

(CAOS logo - A. Ferrari)

Caos nos transportes

 

A epidemia de dengue fosse incontrolável como agora?

E a febre aftosa?

E a febre amarela?

Se faltasse gás?

Se os lucros dos bancos fossem tão vultosos como agora?

Se houvesse o caos aéreo?

Se o FHC se rebaixasse para o ditador Chaves e para cocaleiro Morales?

Se o FHC entregasse de mão beijada para o facínora do Fidel Castro um bilhão de reais do dinheiro pago pelos contribuintes?

Se a mulher de FHC pedisse e obtivesse cidadania estrangeira só para manipular contas bancárias no país escolhido de forma secreta e protegida?

Se o FHC comprasse um avião tão luxuoso?

Se todos os "amigos" do FHC fossem corruptos?

Se o FHC "perdoasse" a dívida de tantos "amiguinhos" ?

Se o FHC tivesse um filhinho tão "espertinho" ?

Se as despesas do palácio aumentassem tanto?

Se alguma ministra de FHC nos mandasse relaxar e gozar?

Se a primeira dama não fizesse p**** nenhuma mas tivesse cartão de crédito ilimitado?

Se o FHC aparelhasse o estado com milhares de empregos para os "companheiro" ?

Se algum aspone do presidente nos mandasse tomar no... quando caísse algum avião?

Se o FHC declarasse sempre que não sabia de nada?

Se o FHC fosse amiguinho do presidente mais corrupto que o senado já teve?

Se o leite contivesse soda cáustica?

Se algum ministro do FHC declarasse que soda cáustica no leite não faz nenhum mal?

O que o PT diria? Onde anda o PT?

Do Blog POR OUTRO LADO

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Fim do fator previdenciário: veja como os deputados votaram

 

Rodolfo Torres

Por 323 votos a favor, 80 contra e duas abstenções, a Câmara acaba de derrubar o fator previdenciário (índice que funciona como redutor das aposentadorias) a partir de 1° de janeiro de 2011. Assim, a Casa concluiu a votação da Medida Provisória 475/09, que reajusta as aposentadorias acima de um salário mínimo. A matéria ainda será analisada no Senado. 

Veja como os deputados votaram sobre o fim do fator


Acre (AC)  

Fernando Melo  PT  NÃO  

Flaviano Melo  PMDB   Sim  

Henrique Afonso  PV  Sim  

Ilderlei Cordeiro  PPS  Sim  

Nilson Mourão  PT  NÃO  

Sergio Petecão  PMN    Sim  

Total Acre: 6  

 

Alagoas (AL)  

Antonio Carlos Chamariz  PTB  Sim  

Augusto Farias  PTB  Sim  

Benedito de Lira  PP  Sim  

Carlos Alberto Canuto  PSC  Sim  

Francisco Tenorio  PMN  Sim  

Joaquim Beltrão  PMDB  Sim  

Maurício Quintella Lessa  PR  Sim  

Total Alagoas: 7  

 

Amapá (AP)  

Dalva Figueiredo  PT  NÃO  

Davi Alcolumbre  DEM  Sim  

Evandro Milhomen  PCdoB   Sim  

Fátima Pelaes  PMDB   Sim  

Janete Capiberibe  PSB   Sim  

Sebastião Bala Rocha  PDT   Sim  

Total Amapá: 6  

 

Amazonas (AM)  

Francisco Praciano  PT  Sim  

Lupércio Ramos  PMDB  Sim  

Marcelo Serafim  PSB  Sim  

Rebecca Garcia  PP  Sim  

Sabino Castelo Branco  PTB  Sim  

Silas Câmara  PSC  Sim  

Vanessa Grazziotin  PCdoB  Sim  

Total Amazonas: 7  

 

Bahia (BA)  

Alice Portugal  PCdoB Sim  

Antonio Carlos Magalhães Neto  DEM  Art. 17  

Claudio Cajado  DEM  Sim  

Colbert Martins  PMDB  Sim  

Daniel Almeida  PCdoB   Sim  

Edson Duarte  PV  Sim  

Fábio Souto  DEM  Sim  

Félix Mendonça  DEM  NÃO  

Geddel Vieira Lima  PMDB  NÃO  

Geraldo Simões  PT  NÃO  

João Almeida  PSDB  NÃO  

Jorge Khoury  DEM  Sim  

José Carlos Aleluia  DEM  Sim  

José Carlos Araújo  PDT  Sim  

José Rocha  PR  NÃO  

Jutahy Junior  PSDB  NÃO  

Lídice da Mata  PSB   Sim  

Luiz Bassuma  PV  Sim  

Luiz Carreira  DEM  Sim  

Márcio Marinho  PRB Sim  

Marcos Medrado  PDT  Sim  

Maurício Trindade  PR  NÃO  

Nelson Pellegrino  PT  NÃO  

Paulo Magalhães  DEM  Sim  

Roberto Britto  PP  Sim  

Sérgio Barradas Carneiro  PT  Sim  

Sérgio Brito  PSC  Sim  

Tonha Magalhães  PR  NÃO  

Uldurico Pinto  PHS  Sim  

Veloso  PMDB  PmdbPtc  Sim  

Walter Pinheiro  PT  NÃO  

Zezéu Ribeiro  PT  NÃO  

Total Bahia: 32  

 

Ceará (CE)  

Ariosto Holanda  PSB  Sim  

Arnon Bezerra  PTB  Sim  

Chico Lopes  PCdoB   Sim  

Eugênio Rabelo  PP  NÃO  

Flávio Bezerra  PRB  Sim  

Gorete Pereira  PR  Sim  

José Guimarães  PT  NÃO  

José Linhares  PP  Sim  

José Pimentel  PT  NÃO  

Leo Alcântara  PR  Sim  

Manoel Salviano  PSDB  Sim  

Marcelo Teixeira  PR  Sim  

Mauro Benevides  PMDB  Sim  

Paulo Henrique Lustosa  PMDB  NÃO  

Raimundo Gomes de Matos  PSDB  Sim  

Vicente Arruda  PR  Sim  

Total Ceará: 16  

 

Distrito Federal (DF)  

Alberto Fraga  DEM  Sim  

Augusto Carvalho  PPS  Sim  

Jofran Frejat  PR   Sim  

Laerte Bessa  PSC   Sim  

Magela  PT  NÃO  

Rodrigo Rollemberg  PSB  Sim  

Tadeu Filippelli  PMDB   Sim  

Total Distrito Federal: 7  

 

Espírito Santo (ES)  

Capitão Assumção  PSB  Sim  

Iriny Lopes  PT    NÃO  

Jurandy Loureiro  PSC  Sim  

Lelo Coimbra  PMDB  Sim  

Luiz Paulo Vellozo Lucas  PSDB  Sim  

Manato  PDT  Sim  

Rita Camata  PSDB  Sim  

Rose de Freitas  PMDB Sim  

Sueli Vidigal  PDT  Sim  

Total Espírito Santo: 9  

 

Goiás (GO)  

Íris de Araújo  PMDB Sim  

João Campos  PSDB   Sim  

Jovair Arantes  PTB  Obstrução  

Leonardo Vilela  PSDB  Sim  

Luiz Bittencourt  PMDB  NÃO  

Marcelo Melo  PMDB  Sim  

Pedro Chaves  PMDB   NÃO  

Pedro Wilson  PT  Sim  

Roberto Balestra  PP  Sim  

Ronaldo Caiado  DEM  Sim  

Rubens Otoni  PT   NÃO  

Sandro Mabel  PR   NÃO  

Total Goiás: 12  

 

Maranhão (MA)  

Carlos Brandão  PSDB  NÃO  

Cleber Verde  PRB  Sim  

Clóvis Fecury  DEM  Sim  

Davi Alves Silva Júnior  PR  NÃO  

Domingos Dutra  PT  NÃO  

Flávio Dino  PCdoB   Sim  

Pedro Fernandes  PTB  Sim  

Sarney Filho  PV  NÃO  

Total Maranhão: 8  

 

Mato Grosso (MT)  

Carlos Abicalil  PT  NÃO  

Chico Daltro  PP  Sim  

Eliene Lima  PP  Sim  

Valtenir Pereira  PSB Sim  

Wellington Fagundes  PR  Sim  

Total Mato Grosso: 5  

 

Mato Grosso do Sul (MS)  

Antônio Carlos Biffi  PT Sim  

Antonio Cruz  PP   NÃO  

Dagoberto  PDT  Sim  

Geraldo Resende  PMDB  Sim  

Marçal Filho  PMDB Sim  

Nelson Trad  PMDB Sim  

Vander Loubet  PT  NÃO  

Waldemir Moka  PMDB Sim  

Total Mato Grosso do Sul: 8  

 

Minas Gerais (MG)  

Ademir Camilo  PDT  Sim  

Antônio Andrade  PMDB  Sim  

Antônio Roberto  PV  Sim  

Aracely de Paula  PR  Sim  

Bilac Pinto  PR  Sim  

Bonifácio de Andrada  PSDB  Sim  

Carlos Melles  DEM  Sim  

Carlos Willian  PTC   Sim  

Ciro Pedrosa  PV  Sim  

Edmar Moreira  PR  Sim  

Eduardo Barbosa  PSDB  Sim  

Elismar Prado  PT  Sim  

Fábio Ramalho  PV  Sim  

George Hilton  PRB  Sim  

Geraldo Thadeu  PPS  Sim  

Gilmar Machado  PT  NÃO  

Humberto Souto  PPS  Sim  

Jaime Martins  PR  Sim  

Jairo Ataide  DEM  Sim  

Jô Moraes  PCdoB  Sim  

João Bittar  DEM  Sim  

João Magalhães  PMDB NÃO  

José Fernando Aparecido de Oliveira  PV  Sim  

Júlio Delgado  PSB  Sim  

Leonardo Monteiro  PT  Sim  

Leonardo Quintão  PMDB Sim  

Lincoln Portela  PR  Sim  

Luiz Fernando Faria  PP  Sim  

Márcio Reinaldo Moreira  PP  Sim  

Marcos Montes  DEM  Sim  

Maria Lúcia Cardoso  PMDB  Sim  

Mário de Oliveira  PSC  Sim  

Mário Heringer  PDT  Sim  

Mauro Lopes  PMDB  Sim  

Miguel Corrêa  PT  Sim  

Miguel Martini  PHS  Sim  

Odair Cunha  PT  NÃO  

Paulo Abi-Ackel  PSDB  Sim  

Paulo Delgado  PT  Abstenção  

Paulo Piau  PMDB  Sim  

Rafael Guerra  PSDB  Sim  

Reginaldo Lopes  PT  Sim  

Rodrigo de Castro  PSDB  Sim  

Saraiva Felipe  PMDB   Sim  

Silas Brasileiro  PMDB  Abstenção  

Virgílio Guimarães  PT  NÃO  

Vitor Penido  DEM  Sim  

Total Minas Gerais: 47  

 

Pará (PA)  

Asdrubal Bentes  PMDB  Sim  

Bel Mesquita  PMDB   Sim  

Beto Faro  PT   NÃO  

Elcione Barbalho  PMDB  Sim  

Gerson Peres  PP  Sim  

Giovanni Queiroz  PDT  Sim  

Jader Barbalho  PMDB  Sim  

Lira Maia  DEM  Sim  

Lúcio Vale  PR  NÃO  

Nilson Pinto  PSDB   Sim  

Paulo Rocha  PT   NÃO  

Vic Pires Franco  DEM   Sim  

Wandenkolk Gonçalves  PSDB   Sim  

Wladimir Costa  PMDB  Sim  

Zé Geraldo  PT   NÃO  

Zenaldo Coutinho  PSDB   Sim  

Total Pará: 16  

 

Paraná (PR)  

Abelardo Lupion  DEM  Sim  

Alceni Guerra  DEM   Sim  

Alex Canziani  PTB  Sim  

Andre Vargas  PT  NÃO  

Assis do Couto  PT  NÃO  

Cassio Taniguchi  DEM  Sim  

Cezar Silvestri  PPS  Sim  

Chico da Princesa  PR   Sim  

Dilceu Sperafico  PP  Sim  

Dr. Rosinha  PT  NÃO  

Eduardo Sciarra  DEM  Sim  

Giacobo  PR  Sim  

Gustavo Fruet  PSDB  Sim  

Hermes Parcianello  PMDB  Sim  

Luiz Carlos Hauly  PSDB  Sim  

Luiz Carlos Setim  DEM  Sim  

Marcelo Almeida  PMDB NÃO  

Moacir Micheletto  PMDB   Sim  

Odílio Balbinotti  PMDB   NÃO  

Osmar Serraglio  PMDB  NÃO  

Ratinho Junior  PSC   Sim  

Reinhold Stephanes  PMDB  Sim  

Ricardo Barros  PP  Sim  

Rodrigo Rocha Loures  PMDB  Sim  

Takayama  PSC  Sim  

Wilson Picler  PDT  Sim  

Total Paraná: 26  

 

Paraíba (PB)  

Armando Abílio  PTB  Sim  

Efraim Filho  DEM  Sim  

Luiz Couto  PT  NÃO  

Major Fábio  DEM  Sim  

Manoel Junior  PMDB   Sim  

Rômulo Gouveia  PSDB  Sim  

Vital do Rêgo Filho  PMDB  Sim  

Wilson Braga  PMDB   NÃO  

Wilson Santiago  PMDB   Sim  

Total Paraíba: 9  

 

Pernambuco (PE)  

Ana Arraes  PSB   Sim  

André de Paula  DEM  Sim  

Armando Monteiro  PTB  NÃO  

Carlos Eduardo Cadoca  PSC  Sim  

Charles Lucena  PTB  Sim  

Edgar Moury  PMDB  NÃO  

Eduardo da Fonte  PP  Sim  

Fernando Coelho Filho  PSB   Sim  

Fernando Nascimento  PT  Sim  

José Chaves  PTB  Sim  

José Mendonça Bezerra  DEM  Sim  

Maurício Rands  PT  Sim  

Paulo Rubem Santiago  PDT  Sim  

Raul Henry  PMDB  Sim  

Raul Jungmann  PPS  Sim  

Wolney Queiroz  PDT  Sim  

Total Pernambuco: 16  

 

Piauí (PI)  

Antonio José Medeiros  PT  NÃO  

Átila Lira  PSB   Sim  

Ciro Nogueira  PP  NÃO  

José Maia Filho  DEM  Sim  

Júlio Cesar  DEM  Sim  

Marcelo Castro  PMDB   Sim  

Nazareno Fonteles  PT  NÃO  

Paes Landim  PTB  NÃO  

Total Piauí: 8  

 

Rio de Janeiro (RJ)  

Alexandre Cardoso  PSB   Sim  

Andreia Zito  PSDB  Sim  

Arnaldo Vianna  PDT  Sim  

Arolde de Oliveira  DEM  Sim  

Bernardo Ariston  PMDB   Sim  

Brizola Neto  PDT  Sim  

Carlos Santana  PT  Sim  

Chico Alencar  PSOL  Sim  

Chico DAngelo  PT  Sim  

Cida Diogo  PT  Sim  

Deley  PSC  Sim  

Dr. Paulo César  PR  Sim  

Edmilson Valentim  PCdoB  Sim  

Edson Ezequiel  PMDB   Sim  

Edson Santos  PT  NÃO  

Eduardo Cunha  PMDB NÃO  

Fernando Gabeira  PV  Sim  

Fernando Gonçalves  PTB  Sim  

Fernando Lopes  PMDB  Sim  

Filipe Pereira  PSC  Sim  

Geraldo Pudim  PR  Sim  

Hugo Leal  PSC  Sim  

Indio da Costa  DEM  Sim  

Jair Bolsonaro  PP  Sim  

Jorge Bittar  PT  Sim  

Leandro Sampaio  PPS  Sim  

Léo Vivas  PRB  Sim  

Leonardo Picciani  PMDB  Sim  

Luiz Sérgio  PT  NÃO  

Marcelo Itagiba  PSDB  Sim  

Miro Teixeira  PDT  Sim  

Neilton Mulim  PR  NÃO  

Otavio Leite  PSDB  Sim  

Rodrigo Maia  DEM  Sim  

Silvio Lopes  PSDB  Sim  

Simão Sessim  PP  Sim  

Solange Almeida  PMDB  Sim  

Solange Amaral  DEM  Sim  

Suely  PR  NÃO  

Vinicius Carvalho  PTdoB  Sim  

Total Rio de Janeiro: 40  

 

Rio Grande do Norte (RN)  

Betinho Rosado  DEM  Sim  

Fábio Faria  PMN  Sim  

Felipe Maia  DEM  Sim  

Henrique Eduardo Alves  PMDB   NÃO  

Rogério Marinho  PSDB  Sim  

Sandra Rosado  PSB   Sim  

Total Rio Grande do Norte: 6 

 

Rio Grande do Sul (RS)  

Afonso Hamm  PP  Sim  

Beto Albuquerque  PSB  Sim  

Darcísio Perondi  PMDB Sim  

Emilia Fernandes  PT  Sim  

Enio Bacci  PDT  Sim  

Ibsen Pinheiro  PMDB Sim  

José Otávio Germano  PP  Sim  

Luciana Genro  PSOL  Sim  

Manuela DÁvila  PCdoB  Sim  

Mendes Ribeiro Filho  PMDB  Sim  

Nelson Proença  PPS  Sim  

Onyx Lorenzoni  DEM  Sim  

Paulo Pimenta  PT  Sim  

Paulo Roberto Pereira  PTB  Sim  

Pepe Vargas  PT  Sim  

Pompeo de Mattos  PDT  Sim  

Professor Ruy Pauletti  PSDB  Sim  

Renato Molling  PP   Sim  

Sérgio Moraes  PTB   Sim  

Vieira da Cunha  PDT   Sim  

Vilson Covatti  PP   Sim  

Total Rio Grande do Sul: 21  

 

Rondonia (RO)  

Anselmo de Jesus  PT  NÃO  

Eduardo Valverde  PT  NÃO  

Marinha Raupp  PMDB  Sim  

Mauro Nazif  PSB   Sim  

Moreira Mendes  PPS  Sim  

Total Rondonia: 5  

 

Roraima (RR)  

Angela Portela  PT  Sim  

Francisco Rodrigues  DEM  Sim  

Luciano Castro  PR  NÃO  

Marcio Junqueira  DEM  Sim  

Neudo Campos  PP  Sim  

Total Roraima: 5  

 

Santa Catarina (SC)  

Angela Amin  PP  Sim  

Celso Maldaner  PMDB Sim  

Décio Lima  PT  Sim  

Edinho Bez  PMDB Sim  

Fernando Coruja  PPS   Sim  

Gervásio Silva  PSDB  Sim  

João Pizzolatti  PP  NÃO  

Jorge Boeira  PT  Sim  

Paulo Bauer  PSDB   Sim  

Paulo Bornhausen  DEM  Sim  

Valdir Colatto  PMDB  Sim  

Vignatti  PT  NÃO  

Zonta  PP  Sim  

Total Santa Catarina: 13  

 

São Paulo (SP)  

Abelardo Camarinha  PSB  Sim  

Aline Corrêa  PP  NÃO  

Antonio Bulhões  PRB  Sim  

Antonio Carlos Pannunzio  PSDB  Sim  

Arlindo Chinaglia  PT  NÃO  

Arnaldo Faria de Sá  PTB  Sim  

Arnaldo Jardim  PPS  Sim  

Arnaldo Madeira  PSDB  NÃO  

Beto Mansur  PP  Sim  

Cândido Vaccarezza  PT  NÃO  

Carlos Sampaio  PSDB  Sim  

Carlos Zarattini  PT  NÃO  

Celso Russomanno  PP  NÃO  

Devanir Ribeiro  PT  NÃO  

Dimas Ramalho  PPS  Sim  

Dr. Talmir  PV  Sim  

Dr. Ubiali  PSB  Sim  

Duarte Nogueira  PSDB  Sim  

Edson Aparecido  PSDB  Sim  

Emanuel Fernandes  PSDB  NÃO  

Fernando Chiarelli  PDT  Sim  

Fernando Chucre  PSDB  Sim  

Francisco Rossi  PMDB  Sim  

Guilherme Campos  DEM  Sim  

Ivan Valente  PSOL  Sim  

Janete Rocha Pietá  PT  Sim  

Jefferson Campos  PSB  Sim  

Jilmar Tatto  PT  NÃO  

João Dado  PDT  Sim  

João Paulo Cunha  PT  NÃO  

Jorginho Maluly  DEM  Sim  

José Eduardo Cardozo  PT  NÃO  

José Genoíno  PT  NÃO  

José Mentor  PT  NÃO  

José Paulo Tóffano  PV  Sim  

Julio Semeghini  PSDB  Sim  

Lobbe Neto  PSDB  Sim  

Luciana Costa  PR  Sim  

Luiza Erundina  PSB  Sim  

Marcelo Ortiz  PV  Sim  

Márcio França  PSB Sim  

Milton Monti  PR  Sim  

Paes de Lira  PTC  Sim  

Paulo Maluf  PP  Sim  

Paulo Pereira da Silva  PDT  Sim  

Paulo Teixeira  PT  NÃO  

Regis de Oliveira  PSC  Sim  

Renato Amary  PSDB  Sim  

Ricardo Berzoini  PT   Sim  

Ricardo Tripoli  PSDB   Sim  

Roberto Alves  PTB   Sim  

Roberto Santiago  PV   Sim  

Silvio Torres  PSDB  Sim  

Vanderlei Macris  PSDB  Sim  

Vicentinho  PT  Sim  

Walter Feldman  PSDB  NÃO  

Walter Ihoshi  DEM   Sim  

William Woo  PPS   Sim  

Total São Paulo: 58  

 

Sergipe (SE)  

Albano Franco  PSDB  Sim  

Eduardo Amorim  PSC  Sim  

Iran Barbosa  PT  Sim  

Jackson Barreto  PMDB  Sim  

Jerônimo Reis  DEM  Sim  

José Carlos Machado  DEM  Sim  

Mendonça Prado  DEM  Sim  

Total Sergipe: 7  

 

Tocantins (TO)  

Eduardo Gomes  PSDB  Sim  

João Oliveira  DEM  Sim  

Laurez Moreira  PSB   Sim  

Lázaro Botelho  PP  Sim  

Moises Avelino  PMDB   Sim  

NIlmar Ruiz  PR  NÃO  

Osvaldo Reis  PMDB   Sim  

Total Tocantins: 7    

FONTE: Congresso em Foco