Google+ Álem M. Martins: Templo da Igreja Mundial do Poder de Deus no Brás oferece risco de contaminação, alega fiscalização

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Templo da Igreja Mundial do Poder de Deus no Brás oferece risco de contaminação, alega fiscalização

 

Por Leonardo Gonçalves

[Leia também: Igreja Mundial do Poder de Deus é fechada por falta de alvará]

O Templo dos Milagres, igreja onde Valdemiro Santiago [foto] realiza seus cultos de curandeirismo, permanece fechado. O embargo aconteceu nesta segunda-feira, 21 de dezembro, quando fiscais do município de São Paulo lacraram o lugar, após verificar “suposta” irregularidade no que concerne a segurança, além da comprovada falta de alvará de funcionamento. Ademais disso, as autoridades alegam risco de contaminação, pelo fato do galpão ter sido usado anteriormente para fins industriais.
Valdemiro, ex-pastor da Igreja Universal, auto-proclamado apóstolo e fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus, disse que realizará cultos no estádio da Portuguesa, o que parece ser uma exibição de poder. O apóstolo pretende chamar a atenção das autoridades da cidade, bem como dos seus desafetos (Edir Macedo e RR Soares). Alega ainda, que o veto do seu salão de cultos é fruto de perseguição religiosa, e que o embargo é inconstitucional.
Segundo depoimento em vídeo, os pastores Silas Malafaia e Jabes de Alencar, ambos da Assembléia de Deus, teriam oferecido apoio à seita, manifestando-se contrários ao veto do Templo.
Não sabemos até onde esta história levará, mas é fato conhecido que bispos da Igreja Mundial já estão se aproveitando do ocorrido para pedir “sementes de fé”. Além de pedir 30% do salário dos fiéis e comercializar água benta à mil reais, a seita de Valdemiro Santiago pediu a TODOS que assistem seu programa, que enviem ofertas de 30, 50 e 100 reais [víde vídeo 2].
Conforme mencionamos em outra oportunidade, nada temos contra os membros da IMPD. Contudo, não endossamos nenhuma das práticas absurdas da seita, desde venda de ícones até a exibição de doentes em programa televisivo com o intuito de sensibilizar o telespectador para ofertar, ou ainda levá-lo a uma atitude complacente com o engodo apregoado pelo líder máximo da denominação.


***
Postou Leonardo Gonçalves, no Púpito Cristão


Comentário do Púlpito Cristão:
Temos sido questionados por centenas de fiéis da Igreja Mundial, bem como por simpatizantes do movimento oriundos de várias denominações. A imagem messiânica de Valdemiro Santiago, aliada a seus poderes curativos, parecem colocá-lo acima do bem e do mal, de modo que nossas críticas, por mais bem embasadas e bíblicas, são rejeitadas a priori pelos devotos do “homem de Deus”.
Com respeito ao curandeirismo do líder da seita, remeto meus leitores às palavras santas de Jesus, o qual disse: “Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?’ Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal” (Mt 7.22-23). Também o apóstolo Paulo alertou os crentes de Corinto quanto a possibilidade de ministros de Satanás se infiltrarem no rebanho, “cultivando a aparência de anjos iluminados” (2Co 11.14-15). Cito ainda as palavras do reformador Martinho Lutero, o qual dizia que “qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias”.
Já o embargo do templo, este é uma questão judicial, e cabe ao apóstolo provar que o lugar (antes um galpão usado para fins industriais) não oferece risco de contaminação, e conseguir um alvará de funcionamento. Baixo estas condições, qualquer pessoa pode amparar-se na constituição federal e exercer livremente seu direito de culto. Valer-se do direito de congregar-se no local, sem dispor de alvará e laudo que comprove que não há risco de contaminação é, no mínimo, irresponsabilidade do apóstolo, que ao invés de preocupar-se tanto com a cobrança de trízimos, devia preocupar-se mais com o bem-estar das suas ovelhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário